Blitz na av. Dom Aguirre chamará atenção para a questão do atropelamento de animais silvestres

05/11/2019

A Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema) e da Urbes – Trânsito e Transportes, vai realizar nesta quinta-feira (7), das 9h às 11h, mais uma blitz educativa para alertar os motoristas sobre o risco de atropelamento de capivaras (Hydrochaeris hydrochaeris) e outros animais silvestres. Desta vez, a ação ocorrerá na avenida Dom Aguirre, próximo ao Parque das Águas, um dos locais que recebeu a placa de alerta à presença de capivara.

A atividade educativa intitulada Blitz da Biodiversidade contará com apoio de agentes de trânsito da Urbes e tem como objetivo sensibilizar os condutores sobre o problema do atropelamento de animais silvestres. As espécies mais atropeladas e que também vivem em Sorocaba são: o gambá-de-orelha-branca (Didelphis albiventris), o cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), o ratão do banhado (Myocastor coypus), a capivara e uma espécie de lagarto chamado teiú (Tupinambis merianae).

O pedido de uma ação neste sentido foi feito pela prefeita Jaqueline Coutinho ao secretário do Meio Ambiente, Maurício Tavares da Mota, no mês de setembro, que estudou medidas junto à Urbes para alertar os motoristas da presença do animal silvestre na região e reduzir o atropelamento de capivaras.

Uma das estratégias foi de instalar 11 placas de alerta para proteger as capivaras principalmente na avenida Dom Aguirre. A espécie habita banhados, margens de rios e lagos e podem ser vistas, vivendo em família, ao longo do Rio Sorocaba. A recomendação é que as pessoas dirijam sempre na velocidade permitida e próximo a cursos d`água e vegetação redobrem a atenção nas vias.

Durante a blitz, as equipes também vão divulgar o Sistema Urubu, considerado a maior rede social de conservação da biodiversidade brasileira. O Sistema Urubu possui um aplicativo de celular gratuito chamado Urubu Mobile que auxilia no levantamento de animais atropelados em todo território nacional para fins de pesquisa e execução de ações preventivas em relação a este problema. Seu uso é muito simples: encontrando um animal atropelado, a pessoa tira uma foto usando o aplicativo.

O local da foto e a data são marcados automaticamente e a imagem é enviada para o Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE). Os profissionais do CBEE, por sua vez, juntam todos os dados enviados para fazerem a análise dos pontos mais vulneráveis e, então, proporem mudanças para reduzir os atropelamentos.

Segundo estimativa do Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas, mais de quinze animais morrem a cada segundo nas estradas brasileiras e muitos deles são de espécies ameaçadas de extinção. Esse número totaliza cerca de 475 milhões de animais mortos por ano. De modo geral, os animais atravessam as estradas e rodovias em busca de alimento ou de um novo local para viver, em consequência da destruição dos habitats naturais e do crescimento urbano.

De acordo com a Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins, em caso de chuva, a blitz será reagendada. Secom/Sorocaba

Tweets
Voltar ao Início