Comissão da Câmara solicita afastamento de secretários envolvidos na "Operação Casa de Papel"

10/04/2019

Os vereadores integrantes da comissão especial instaurada na Câmara Municipal de Sorocaba para acompanhamento das investigações da “Operação Casa de Papel” decidiram, em sua primeira reunião ontem, 9, requerer à Prefeitura o imediato afastamento dos secretários municipais e do servidor público envolvidos nas denúncias. Um ofício foi protocolado na Prefeitura de Sorocaba com a solicitação.

Os referidos secretários são Eloy de Oliveira, de Comunicação e Eventos; Hudson Zuliani, de Licitações e Contratos; e Werinton Kermes, de Cultura e Turismo, secretaria onde também trabalha o servidor público investigado, Edmilson Chelles Martins. Werinton pediu a exoneração do cargo ontem.  “É imprescindível esse afastamento para que não haja possibilidade dos envolvidos atrapalharem o andamento das investigações”, explicou o presidente da comissão, Anselmo Neto (PSDB), acrescentando que, caso a Prefeitura não acate a solicitação, a medida poderá ser requerida judicialmente.

A comissão reivindicou também a suspensão de todos os contratos e pagamentos às empresas envolvidas e, à Polícia Civil, solicitará o acompanhamento das oitivas das autoridades policiais, assim como o andamento do inquérito. Anselmo Neto explica que é essa justamente a finalidade da comissão. “O acompanhamento será feito para que dentro da Câmara Municipal fique regulamentada e documentada a investigação. Caso não houvesse essa comissão, todo o trabalho de investigação teria de ser repassado posteriormente à Câmara Municipal”.

A criação da comissão especial para acompanhamento dos trabalhos da “Operação Casa de Papel” foi aprovada por unanimidade na sessão ordinária desta terça-feira, 9, e o vereador Anselmo Neto foi escolhido como presidente, tendo como relator o vereador Renan Santos (PCdoB). A comissão conta com um representante de cada partido com assento na Câmara Municipal. (Imprensa/Camara Sorocaba)

Tweets
Voltar ao Início